14 de março de 2015

Decisões que tomamos

Nessa postagem: Como lidar com situações novas que aparecem?, contei sobre algumas coisas que surgiram na minha filha. Então, por minha conta e risco resolvi tirar o remédio de Hormônio dela (Estogênio). 

Troquei ideias com várias mães, que me disseram: Tira essa porcaria! (Não aconselho ninguém fazer o mesmo do que eu, cada caso é um caso). Mas não é nenhum remédio tarja preta, e como ela toma vários essenciais, vi que realmente esse mais prejudica do que ajuda. Não vou por cabeça de ninguém, mas depois de analisar comigo mesma o que é melhor pra minha filha entrei em consenso com a opinião de uma mãe. Ela terá consulta com a Endocrinologista em Junho. Então vou tirar e observar até lá o que melhora nela pra poder ter embasamento na minha opinião para retirar esse medicamento. Claro que isso deveria ser feito a critério médico. Mas fiz!

O remédio que ela toma é dado em dias alternados( um dia sim um não). O último dia que ela tomou foi no dia 09/03 (o 7º da cartela de 28). No dia 11 que foi o dia do exame dela, acabei esquecendo, e quando isso acontece, temos que dar a próxima dose somente e não dar em dias seguidos. 

Porque tomei essa decisão?

Porque em primeiro lugar percebi mudanças que não estavam fazendo bem à minha filha. Ressalvo aqui de novo que não sou a favor de tirar remédio sem orientação médica. 

Porque consultei a bula do remédio. Mas se pararmos pra pensar em qualquer medicamentos e seus efeitos colaterais, jamais tomamos certo? Quando prescreveram essa medicação pra minha filha me disseram que ele desprotege o coração. É como se ela fizesse uma reposição hormonal, e sabemos que muitas vezes não dá certo pra toda pessoa. Fiquei no seguinte impasse: Bula de Remédio X Médico X Sintomas da minha filha.
 
Outra coisa que vi batem com alguns sintomas ruins na minha filha. Por conta de todas as alterações que já citei na postagem (que deixei o link acima). por conta da alteração de triglicérides (que me falaram que era por conta de algo que ela estava comendo) e não é. Essa alteração só começou acontecer depois desse hormônio.
Outra coisa é a cor amarela dela, que inclusive eu achava ser anemia, e deu tudo normal os exames dela, e além dela ter uma imunidade ótima.
O emagrecimento dela é mais uma coisa que notei, e no começo ela até engordou... Mas tenho percebido a apatia dela profunda.
Além de outros sintomas como queda de cabelo, e pode subir a pressão arterial. 

Pensei: Opa! Pra quê vou deixar ela passando essas coisas? Eu sei que a princípio a preocupação dos médicos é a prevenção da Osteoporose, e isso a bula diz, mas poxa vida! Ela tem enfrentado tanta coisa, e ela tira de letra, mas convenhamos, toda dia que ela toma ela tem vômitos transparentes, e sei que devido a tanto remédio o fígado, o estômago ficam péssimos.

Então alguns dias sem essa medicação percebi ela melhor. Ela até sorriu. Coisa que eu não via há tempos! 
Sei que a alteração cardíaca dela pode provocar essa apatia, mas se o quadro está igual não é isso! Acho até que a alteração cardíaca nem está dando sintoma nela por estar estável, e não ser grave. Acredito que seja por conta de tanta medicação.

No dia da consulta eu me viro com os médicos. O que me deixa apreensiva é contestarem os efeitos colaterais do remédio. Se sabendo o que ele poderia acarretar, e do problema de pressão arterial porque passaram? Agora temos que sentar e conversar sobre o que temos que resolver e que preocupa e cuidar, e monitorar a parte óssea como sempre fazermos, se algo vier diferente, vemos o que podemos fazer. Não coloco culpa em médicos, porque quando decidimos isso, estava tudo bem. Mas eu como mãe também tenho o poder de decidir, de mostrar caminhos que sejam melhores pra minha filha ver possíveis caminhos e relatar tudo o que acontece porque é comigo que ela passa a maior parte do tempo.

(Adriana)

Nenhum comentário:

Postar um comentário