4 de abril de 2015

Adolescência e fatos percebidos e desapercebidos.

Independente de qualquer coisa, todos passam pela adolescência. Vejo uma diferença notória na minha filha, em que algumas coisas que ela tinha muito apego infantil praticamente sumiram. Isso é bom porque apesar do atraso, da estatura ser bem menor do que uma menina da sua idade, ela mentalmente está crescendo. Talvez também por essa adolescência emocional, pela forma que a tratamos, e pelo entendimento e amadurecimento das coisas à sua volta. Ela percebeu que não há saída, que suas tentativas de manipular para sair daquela situação não resolvem, então o jeito é enfrentar. Quando menor, as crianças usam o choro para manifestar suas indignações, contestar, mas mesmo assim eles usam esse recurso exageradamente. A minha ainda chora, mas como forma de reclamar, mas faz isso de forma mais contida, porém faz o que é preciso pois sabe que sairá daquilo, que não para sempre.

Em minha mente, devido a Síndrome eu teria sempre uma menina infantil. Até estava acostumada com isso. Quando vi algumas atitudes mudarem, (e acredito que toda mãe, independente de qualquer coisa) sinta isso: perdi minha criança! Ela dá lugar à uma menina mulher, que a cada dia tem mais personalidade, preferências e opinião. Mesmo do jeitinho dela. Isso é bom porque apesar de crianças com atraso serem chamados de bebês, psicologicamente serão adultos de alguma forma. Seja lá com seus atrasos, Síndromes. Não importa. Elas são pessoas!

Por vezes algumas coisas passam desapercebidas, outras a gente percebe que elas crescem. No 8º dia sem a medicação de hormônio que retirei, percebi um pequeno sangramento, e sei que essas meninas não tem a menstruação ou se tem não é por muito tempo. Em alguns dias alguns borrões que aparecem num dia, somem no outro. Como ela usa fralda tem que prestar muita atenção se é isso mesmo. E constatei que esses " borrões" já aconteceram outras vezes. Mas nada constante, e sim fatos isolados. O fato é que tudo o que acontece relato à Endocrinologista. Notei ela no dia mais quieta ou calma do que o normal. Ela é sempre boazinha, só reclama se tem algum desconforto. Porém agora qualquer fato novo me atento para se passar aos médicos dela.

Eu acho muito importante esse contato com nossas filhas de carinho, de afeto, e de tratá-las normalmente como moças, mulheres. Ao mesmo tempo em que sempre que precisarem de um colinho de mãe, um dengo, um cheiro, porque seja qual a idade delas sempre serão nossas filhotinhas!

Até a próxima!

Adriana 

Nenhum comentário:

Postar um comentário