12 de agosto de 2015

Evolução da Jaqueline

Vim atualizar o blog pois há algum tempo não faço e geralmente faço isso quando se aproxima de alguma consulta exame ou se tem alguma novidade, algo que quero postar, mas diante da correria sentei hoje pra fazê-lo pois além de ser mãe da Jaque, dona de casa, atualizo 7 blogs com esse. Então, esse aqui é o que mais tenho cautela por ser tratar de algo tão específico.

A Jaqueline está bem. Tem ganhado peso, é outra pessoa! Aquele fantasma da desnutrição grave dia a dia vem desaparecendo. O rosto dela mudou, ela está cada dia mais pesada. E sapeca também! A única coisa ruim é que ela está ainda afastada da escola, mas ao mesmo tempo é o melhor pra ela no momento. Só o médico poderá analisar se ela tem condições ou não pra voltar. Ainda acho que essa análise deve ser feita junto com a cardiologista dela porque tenho percebido que mesmo melhor daquele cansaço exagerado que ela tinha e que era pela perda de peso também, vejo que ela ainda fica cansada. Como está com alteração cardíaca, e o fato dela ter uma haste na coluna desde 2011, isso contribui pra que ela fique muito cansada. Por exemplo: Eu saio com ela, se ela ficar mais de 1hora sentada ela já começa me dar sinais de cansaço. Quando eu saio com ela em lugares que posso deitá-la depois de perceber esse cansaço, ela fica bem. Um sinal que é evidente nela é a expressão, pois até um certo período, ela fica bem, sorridente, cantando, batendo palmas. Quando para de fazer isso já sei que está cansada. Por isso quero conversar com esses médicos e ver o que realmente é melhor pra ela. Por enquanto a renovação do afastamento tem sido feito pela Neurologista da escola dela. 

Mas as demais atividades continuam como idas aos médicos, dentista etc. No final do mês ela tem exames pré-consulta (Ultrassom Renal com Doppler, Exames de Sangue e Urina) e Nefrologista e Nutricionista. Em setembro Ortopedista de rotina, em outubro Nutrólogo, em novembro Cardiologista e dezembro Endocrinologista. Semana que vem vou pesá-la porque ela tem consulta com a Neurologista que atende na escola, e por causa das medicações, precisamos pesar pelo menos 1x no mês, e como os retornos às vezes são demorados, eu peso na farmácia mesmo: Primeiro me peso sozinha e anoto meu peso, depois com ela no meu colo, e faço as contas.

Com a alimentação calórica mas de qualidade, e a cada ida ao mercado temos que comprar o básico do básico e ainda sim, o dinheiro vai todo embora. Consegui ajuda de várias pessoas, inclusive doações de suplemento, ajudas com alimentos, com tudo que possa imaginar. Eu nem esperava, mas senti tanto carinho e amor nessas atitudes, que percebi que nada como um dia após o outro. Eu e meu marido sempre fizemos de tudo por ela, nunca pedimos ajuda, sempre conseguimos comprar tudo, mas quando eu soube que a Jaque estava desnutrida, estávamos na pior situação que se possa imaginar. Quando a Jaque estava debilitada o máximo que estávamos fazendo por ela não era suficiente, e quando recebi as orientações, fiquei pensando: Como vou fazer? Se pra comprar comida, fralda, remédio já está difícil, imagina suplemento caro!

E não pense que o Governo ajuda! Há coisas que precisamos pra ontem! O hospital ainda tentou ver se tinha, mas o que ela usa em específico não tinha nenhuma lata por ser um suplemento especial. Ainda sim temos que arcar com tudo, mas o importante é que a gente corre, trabalha, recebe ajuda e nada falta. Mas foi um sufoco, o terremoto passou! 

Adriana Silva