16 de dezembro de 2015

Nossos filhos mudam!

Nossos filhos crescem, mudam, adquirem opiniões, gostos, preferências. Absolutamente normal. Nós passamos por isso. Nós somos assim: diferentes! E apesar de nos sentirmos contrariados temos que respeitar e aceitar algumas coisas. A minha filha mudou muito em algumas coisas. A medida que foi crescendo fui percebendo que algumas coisas e por mais que eu ache certo do meu jeito se eu contrariar é pior. No caso dela, é típico da personalidade dela não mudar de opinião. Ao mesmo tempo que é muito fácil ela se adaptar à algumas coisas. É muito complexo e simples ao mesmo tempo. Complexo no que se refere à personalidade e preferências, e simples se nós entendermos o que ela quer dizer.

Quando ela fazia algumas terapias, e até uma certa idade conseguia fazer e obter algumas respostas. Agora , é o que ela quer e pronto. Ela sempre foi geniosa, faz quando quer, mas agora mais madura, ela tem uma formação psicológica e cognitiva em alguns aspectos. Então, percebi que não adianta eu me impor. Dizer que ela tem que fazer do meu jeito e pronto. É claro que se ela não quisesse tomar banho por exemplo, eu não iria obedecer, e isso traria prejuízos a ela. Me refiro a coisas que não trazem prejuízo apesar de saber que ela poderia fazer diferente, mas é assim que ela quer, gosta e faz.

Além disso, tive que amadurecer em mim isso, pra poder passar isso aos médicos. Alguns entendem. Outros julgam. Eu digo: Se a comida dela estiver do jeito que eu quero que ela coma, ela não vai comer! Se for do jeito dela, ela come. Prefiro que ela coma, pois não vou bater nela pra ela comer de um jeito que ela não consegue. Ela faz algumas coisas quando ela quer, e tem comportamento totalmente diferente quando saí. Então as pessoas acham que ela não faz, não fala. Engano delas! É o jeito dela! É o que parece mas não é! Ao mesmo tempo que ela se solta quando quer, que faz gracinhas, e surpreende as pessoas. Eu costumo dizer que ela é de lua. Eu respeito isso nela. Não vou querer que ela seja algo que não é. Ela confia em algumas pessoas e se permite. Ela é cismada. Ela é meiga. Ela é ela mesma! Mas as pessoas só vão saber como é se eu dizer e isso digo quando me perguntar. Eu que passo a maior parte do tempo com ela, e as pessoas não são obrigadas a saber.

Somos eternas aprendizes dos nossos filhos. Mais do que professoras!

(Adriana Silva)

Nenhum comentário:

Postar um comentário