4 de fevereiro de 2016

Consulta com Neurologista

Hoje foi dia de uma consulta com a Neurologista que ela passa a cada 2 a 3 meses. A que a atendia na escola foi embora e hoje foi a médica nova. O resultado do exame de Eletroencefalograma deu:
A médica aumentou a dose da medicação para o controle da  epilepsia, e na próxima vai aumentar de novo porque eventualmente ela tem crises e pelo peso dela ela pode tomar até 4 comprimidos por dia divididos em 2x. A Neuro me explicou que A Síndrome de Turner altera o organismo como um todo, alterando também as ondas cerebrais. 

Eu não sei se alguma outra paciente Turner tem alguma alteração cerebral como a minha filha, uma vez que me explicaram que o ocorrido era devido a falta de oxigênio durante o parto o que nomeiam como Paralisia Cerebral. Não sei se alguma tem epilepsia. A minha filha começou a ter em 2010, e como a maioria das crianças que tem o mesmo quadro dela de lesão devido a anoxia neonatal em algum momento eu sabia que ela poderia aparecer. 

 O exame de Ressonância Magnética Crânio - Encefálica  que ela fez em 2001 (quando tinha 2 anos de idade) mostrou em seu laudo: Acentuada redução da substância branca  e Lesão parieto/occiptal bilateral, podendo ser compatível com a área isquêmica pregressa.

Na época o Neuro que a atendia e pediu esse exame me explicou: Que ela tem alteração na parte de estímulos e equilíbrio ou seja refletem na parte motora. Faltou oxigênio no cérebro ao nascer (Anóxia Perinatal) pela demora pra nascer. Por causa disso, houve um entupimento na veia localizada na " árvore da vida" (Região nuca) responsável pelo equilíbrio, e por isso a microcefalia que é a consequência da lesão parieto occiptal bilateral podendo ser compatível com a área isquêmica pregressa. A dela não é alarmante por ser pequena o crescimento do corpo em relação à cabeça é equilibrado não ocasionando danos para o desenvolvimento. O crescimento da cabeça é lento, porque o que faz a cabeça crescer é a massa branca do cérebro que empurra o osso para esse desenvolvimento, como a espessura da dela é menor não dá a ajuda necessária para isso acontecer.
 
As alterações afetam a parte de estímulo e equilíbrio como a fala, visão, andar, engatinhar, por isso devem ser ajudados por serem mais lentos. As terapias são indispensáveis para compensar as ausências e dificuldades Neuropsicomotoras. Por isso, ADNPM= Atraso de Desenvolvimento Neuropsicomotor. 
O quadro é irreversível. Todo quadro que ela teve ao nascer, prematuridade, infecção, falta de oxigênio, já passaram e no caso dela foi leve, o que sempre foi estimulada.
 
Outra médica que a atendeu na área de genética disse que em relação à espessura da massa branca e cinzenta também podem ter sido que ela foi gerada assim, não se sabe ao certo, mas que as sequelas foram devido à anóxia e não à Síndrome. 

 
Quanto o afastamento da escola foi mantido até segunda ordem, ou seja, o retorno dela com a médica é em maio, então antes disso nada feito.
Pesamos e percebi que ela perdeu um pouco de peso, (700g) então mais um motivo pra recuperar, e cuidar. Isso porque o suplemento dela foi diminuído, o preparo dos alimentos para a retirada do potássio tira o sabor de algumas coisas e tenho que me virar e inventar.
Não adianta voltar pra escola com essa pressão baixinha, com esse cansaço, com todos os cuidados que precisa ter pra poupar calorias, cuidados com alimentação. Algumas coisas precisam melhorar nela. Terá consulta com Nefrologista e Nutricionista agora em fevereiro assim como os exames de praxe, saberemos como está.

Ela está bem melhor do que estava quando foi afastada, é muito tempo longe da escola, mas o melhor pra ela é ficar comigo, e ainda bem que a cada vez que levo ela pra terapia, dentista ou neuro matamos as saudades de todos que encontramos. 
Na primeira semana da medicação, é normal dar uma sonolência de manhã, e ficar mais eufórica a noite, mas passa, mas sem dúvida com a dosagem melhorada ela fica mais tranquila. Não que seja agitada, mas percebemos que é sinal que a medicação está dando certo.


Até breve!

Adriana Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário