3 de outubro de 2016

Seja o que você quiser filha!

Daí a sua filha cresce, e as pessoas dizem que não pode mais infantilizar, nem cantar mais músicas lúdicas e infantis. Você percebe que fazendo isso ela fica triste e que todos nós temos que ter um pouco de criança dentro de nós.
Sou totalmente ciente que a minha filha é uma adolescente, e sempre quero que ela progrida. A trato de acordo com a sua idade mesmo ela aparentando ter menos. Ela adora palhaçadas, adora histórias, e pede algumas músicas infantis ao mesmo tempo que gosta de músicas atuais e até modernas.
Acostumei-me a sempre ter uma filha infantilizada devido a Síndrome de Turner que não a desenvolve fisicamente como uma mulher. A partir do tratamento hormonal algumas coisas mudaram, mas o jeito doce, carinhoso ela não perdeu. Mudei o jeito de vesti-la, mas percebi que alguns traços de suas preferências devem ser mantidos.
Sempre tomei cuidado para não regredi-la a tratando como bebê, apesar de em alguns momentos como toda mãe faz é pegar no colo, beijar, carregar como um... Nossos filhos crescem sim, mas dentro deles já foram bebês e crianças e jamais seriam o que são sem passar por tais fases.


Hoje, ela é mais seletiva.... Gosta de músicas românticas, de sons de guitarra, violão e piano ao fundo, mas não abandonou suas músicas preferidas de infância. Então o que posso fazer? Exterminar como se essa fase nunca tivesse existido? 
Não!

Se ela pede eu canto, cantamos juntas, brincamos juntas.... Fazemos atividades juntas, nos abraçamos muito. Não vou perder o contato de mãe com a minha filha só porque ela cresceu e me dizem: Ela não pode gostar dos minions, ela não pode cantar borboletinha tá na cozinha, nem gostar de certos brinquedos porque ela é uma mocinha.
Vejo pessoas com 30, 40, 50 anos com bichinhos de pelúcia, bob esponja, minions e nem por isso são crianças o tempo todo. Elas gostam e daí?
Vou deixar a minha filha triste? Jamais.


Sim, eu aceito que ela cresceu! Mas não vou tirar algumas coisas da vida dela porque me dizem que eu deva fazer. Sim... Hoje ela é menos infantil do que anos atrás... Sim... ela entende mais algumas coisas ao seu redor, sente medo, reclama, chora, mas entende que deve fazer e não tem saída, e não dá um pingo de trabalho... Mas dentro dela sempre vai existir a dona aranha que subiu pela parede, vai bater palmas, vai brincar comigo com aquele brinquedo que é bem abaixo da sua idade, vai usar a camiseta dos minions porque ela gosta e adora amarelo, e vai ser e gostar do que ela quiser! A diferença hoje é que ela escolhe o repertório das músicas, o que vai vestir... Trocou as estampas infantis por oncinha, zebrinha,florais, estampas juvenis, imagens mais modernas. Não sou mais eu que escolho... Mostro à ela e permito que ela de alguma forma se manifeste.



Entendo que ela muitas vezes não demonstra o seu potencial com todos, e que ela é totalmente diferente lá fora do que é aqui dentro de casa. Que ela nem sempre se manifesta da mesma forma com todos, e que só faz em locais em que se sente segura. Não tento mudar jamais isso nela e nem trabalhar pra que isso mude. É a personalidade dela...


Então.... Seja o que você quiser minha filha! Você cresceu sim, mas não perdeu a sua personalidade!


 (Adriana Silva)

Nenhum comentário:

Postar um comentário