21 de outubro de 2016

Quando a sua filha cresce e as dificuldades também crescem junto...

Geralmente quando a Jaqueline sai das consultas eu escrevo sobre as minhas sensações diante de tantas coisas que acontecem, pois vou digerindo as coisas, assimilando, sento e vou escrevendo depois deixo pra postar tudo de uma vez só pela correria que vivemos.

Sempre ouvi da junta médica que a medida que a Jaque crescesse algumas coisas apareceriam, que ficaria mais difícil, mas nunca me importei com isso... Sempre olhei para trás respeitando tudo que passei e segui em frente. O fato é que hoje tenho uma moça e não mais uma criança. Alguém que está entrando na fase adulta, e sei que quando ela completar 18 anos muita coisa vai mudar, principalmente as rotinas médicas que são tão exaustivas para nós vão ficar mais ainda pois mudaremos a unidade que a atende passando pra um local que atende adultos e tem muito mais gente.

Ao conversar com a cardiologista dela sobre o afastamento da escola, e que vendo a impossibilidade dela frequentar e estamos cuidando das várias coisas que ela tem, que me sentia triste por ela não ser a mesma que ela era antes. Relatei o cansaço da Jaque, e que ela consegue no máximo ficar 2 horas sentada, fica exausta, pálida e isso é visível no rosto dela. É um esforço muito grande e em todas as consultas sempre reforcei essa questão e queria uma resposta.
A médica muito doce disse: - Mãe... você tem que entender que as coisas mudaram e não sei como essa menina aguenta sequer sentar. Não há condições clínicas nem pra ela ficar um mínimo de tempo em atividade escolar. Não é superproteção, é cuidado! Enquanto essas coisas persistirem ela deve manter-se afastada. não é fácil pra ela, além de tudo que ela passa e todos os cuidados. Não é fácil pra ela e nem pra você.

Não adianta ela ir e não aproveitar. Então converse com a Neuro dela, e pense que o mais importante é ir cuidando das coisas que apareceram nela com consciência que outras podem aparecer, mas vamos tratando. O mais importante agora é manter ela bem e ela anda passando por muita coisa, por muitos exames e consultas.
Continue os atendimentos dela em outras áreas e fique tranquila, você tem sido uma ótima mãe, nem me preocupo com você pois sempre me trás as anotações de pressão, sempre faz tudo direitinho.

Bom... Sei que a parte escolar é muito importante, ela sempre amou a escola, mas com tudo que ela passa de uns tempos pra cá ela não consegue ser igual antes. A socialização é importante, tenho feito as coisas em casa com ela, e o pouco tempo que ela pode ficar sentada levo ela em saídas curtas pra não se isolar do mundo. Nem tudo é como a gente quer, mas temos que fazer o que é permitido.
O que me deixa em paz comigo mesma é saber que tenho feito o meu melhor... Posso estar triste, dilacerada, cansada, me sentindo um lixo, mas a minha filha tem que estar impecável, bem cuidada e alimentada e isso não é um mérito é uma obrigação e me sinto feliz por poder cuidar dela com o meu melhor....



Adriana Silva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário