27 de março de 2017

Todo mundo tem a sua bravura em existir

Cuidar da minha filha mesmo com toda a atenção que precisa é fichinha comparado à tudo que ela passou. O prognóstico dela não seria nem um terço do que ela hoje. Na verdade, poucas pessoas sobreviveriam com tanta coisa que aconteceu. Ela foi forte, e lutou bravamente. Ela é um milagre lindo!

Ela é uma pessoa calma, não me dá um pingo de trabalho. É um pouco geniosa, (quando quer algo quer e pronto), mas não deixo que a as dificuldades que ela tem a vitimize ou a deixe com rótulo de coitada. Mesmo com a rotina, responsabilidades ela acaba entendendo que isso faz parte da vida dela e não tem como escapar. Ela é doce com as pessoas que lhe inspira confiança, e sensível, alegre e esperta. Tem um jeito peculiar de debochar das situações que passou, ou das coisas que ouve e vê. Eu costumo dizer que ela é minha atriz global! Faz algumas coisas quando quer e não há quem mude isso - nem eu!

Ela é feliz, disso não tenho dúvidas. Ela é amada tão enormemente da mesma forma em que ama. Uma pessoa repleta de sentimentos aflorados e que expõe à sua maneira. Alguns a olharão e dirão que ela não entende e não faz nada, mas me acostumei a ter duas filhas: A que é ela mesma dentro de casa ou em ambientes que se sinta à vontade, e outra lá fora: séria e calada.

Eu, só quero que ela viva bem. Ter ela é uma dádiva. Sem sofrimento, sem neuras, sem compadecimento, sem rótulo disso ou daquilo. Do jeito dela, ela expressa o que sente, o que quer, e o que entende. No começo eu queria muitas coisas mas a medida que o tempo passou eu pude perceber que ela tem os seus limites e capacidades. Pode ser limitada em alguns, mas é extraordinária em outros.
Assim como ela, temos os nossos limites. Mas vamos vivendo e algumas vezes caindo e levantando. Isso faz parte da vida.

Pra nós, pai e mãe dela o que importa é que ela continue sendo feliz... Ela já enfrentou tanta coisa e enfrenta, e fazemos de tudo pra que não lhe falte nada. O mais importante é que nunca lhe falte amor. E isso transborda!

(Adriana Silva)


Nenhum comentário:

Postar um comentário