Anúncios

12 de novembro de 2017

Mudanças e Surpresas.

Dia após dia tenho percebido mudanças físicas, comportamentais e emocionais na Jaque. Independente de tomar o hormônio e com isso algo mudar coisas nela, espontaneamente ela mesma começou de um tempo pra cá ter um comportamento de moça. Mesmo com a estatura pequena que não condiz com sua idade de 18 anos, ter 1,28cm não muda a idade cronológica dela.

Com a troca do hormônio em setembro eu já havia percebido que ela está mais calma, e acho que foi uma ótima conduta do médico ter mudado. Até na consulta de rotina com a Neurologista dia 10/11 ela comentou que ela está com cara mais de moça. Mesmo ela adorando a mamãe, adora ficar comigo mas tem os momentos dela. Ama ir à escola, fica toda séria, e acho muito engraçado. Dá impressão que ela não está gostando de ir, mas no fundo ela não vê a hora de entrar e lá fica toda feliz.

Esse ano, particularmente foi um ano de muitas mudanças, pois eu já sabia que muitas coisas mudariam. Comecei com a mudança de cidade, depois essa mudanças de médicos, e essas mudanças dela a cada dia. Tive muitas providências burocráticas a resolver, a volta dela à escola depois de 2 anos afastada por ordem médica. Mas nada mudou em relação ao seu sorriso, ao gostar de certas coisas, de ter aquele olhar ingênuo e alegre dela de ser. Confesso que me assustei um pouco, pois estava acostumada com uma menina infantilizada. Com essas mudanças, eu também fui me acostumando.

Em setembro comecei a ficar doente e tive que parar tudo. Passei com médica, fiz uma porção de exames e tenho retorno e exame do coração em dezembro. Fiquei só cuidando dela, das outras pessoas e me esqueci. Com isso, a Jaqueline faltou 2 meses na escola por pura falta de condições de levá-la pois vamos à pé. Estamos providenciando pedido de transporte para o ano que vem. 

Hoje tive uma surpresa, e sempre no 21º dia do hormônio ela tem escape. Está na segunda cartela, e fico toda preocupada se ela não está sentindo dor. Dessa vez foi um pouco maior do que a do mês anterior. Mas ela ficou calma, tranquila, achei até engraçado o jeito zen dela...  Como o médico mandou dar sem interrupção, isso é normal até o organismo dela se acostumar com ele.

Mudanças e surpresas a parte sigo em passos lentos, cuidando dela, e percebendo que temos que respeitar nossos limites. Tiro de letra tudo que se trata cuidar da Jaque, mas quando é comigo eu despenco! (risos). Mas estou tendo apoio da agente de saúde e da médica da família e compreensão do meu esposo. Há momentos que temos que parar tudo e cuidar de nós.

Um grande abraço,

Adriana

Nenhum comentário:

Postar um comentário